Fale conosco pelo WhatsApp

Azoospermia

A azoospermia é caracterizada pela ausência total de espermatozoides no sêmen. Estima-se que entre 1-2% da população masculina tenha sido diagnosticada com a condição.

Na maioria dos casos, a azoospermia acontece devido a uma obstrução nos ductos deferentes, responsáveis por levar os espermatozoides do epidídimo (onde os gametas amadurecem e ganham movimentação) até a uretra, canal por onde passa o sêmen. Por conta disso, o sêmen ejaculado durante o estímulo sexual não carrega os espermatozoides.

Trata-se de uma das principais causas de infertilidade masculina, sendo que cerca de 20% dos homens inférteis possuem a condição. Entenda mais sobre a azoospermia e como ela impacta no potencial fértil do homem.

As principais causas de azoospermia são:

Secretora (não-obstrutiva)

  • Alterações endócrinas;
  • Criptorquidia, quando um ou ambos os testículos não descem para o escroto;
  • Radioterapia e quimioterapia, realizadas no tratamento do câncer;
  • Síndrome de Klinefelter, síndrome de cunho genético;
  • Microdeleção do cromossomo Y;
  • Infecções testiculares (ex.: caxumba);
  • Traumas, que podem ser originadas por acidentes ou lesões na região.
  • Hábitos nocivos à saúde, tais como o tabagismo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e maconha.

Excretora (obstrutiva)

  • Agenesia dos ductos deferentes e/ou vesículas seminais;
  • Obstrução do ducto ejaculador;
  • Ejaculação retrógrada;
  • Infecções urogenitais, que podem obstruir os canais condutores do sêmen;
  • Cirurgias na região escrotal, inguinal ou pélvica (herniorrafia inguinal, vasectomia).

É importante ressaltar que, em alguns casos, a origem da azoospermia é idiopática, isto é, sem causa conhecida. Por isso, o acompanhamento periódico com um médico especialista em andrologia é essencial para fazer o diagnóstico precoce.

Diferentemente de outros distúrbios masculinos, a azoospermia não apresenta sintomas específicos que ajude a alertar o paciente.

No geral, o principal indício de que o paciente pode ter a condição é a infertilidade conjugal. A infertilidade precisa de investigação realizada por um especialista para determinar se a dificuldade de engravidar vem de fatores femininos, masculinos ou de ambos.

O exame físico é o primeiro método utilizado durante o diagnóstico da condição, principalmente quando os testículos do paciente estão atrofiados ou diminuídos. O médico andrologista, para complementar a investigação, pode solicitar a realização de um espermograma.

De acordo com o resultado do espermograma, o médico pode solicitar, para confirmar seu diagnóstico, uma avaliação histológica dos testículos do paciente. Se houver ausência de espermatogênese nos diferentes estágios, é confirmado a o diagnóstico de azoospermia.

O tratamento escolhido pelo andrologista dependerá de cada caso, respeitando o histórico médico e a saúde geral do paciente. Confira mais detalhes a seguir:

Tratamento da azoospermia excretora (obstrutiva)

Neste caso, o tratamento indicado pelo andrologista terá como objetivo a desobstrução das vias seminais por cirurgia especializada. A técnica cirúrgica é escolhida de acordo com o diagnóstico do paciente.

Tratamento da azoospermia secretora (não-obstrutiva)

O tratamento deste tipo de azoospermia está diretamente ligado com as causas da condição, devendo o médico realizar o diagnóstico do paciente e tratá-lo de acordo com a doença.

Nos casos em que tais métodos não são aplicáveis, o tratamento consiste em recuperar os espermatozoides nos testículos por cirurgia, utilizando microscópio, com o objetivo de recuperar espermatozoides preservando a integridade e função dos testículos. Para isso, o médico andrologista deve utilizar o método de obtenção microcirúrgica de espermatozoides por biópsia testicular (micro TESE).

Reconstrução microcirúrgica

Este procedimento auxilia o paciente diagnosticado com azoospermia (ausência de espermatozoides) a conseguir superar a infertilidade conjugal. Trata-se de uma cirurgia indicada quando o quadro não foi ocasionado por uma vasectomia, ou seja, quando a obstrução dos ductos deferentes possui outras causas que não a vasectomia.

A técnica cirúrgica também é indicada para os casos de azoospermia causada por anomalias congênitas ou como consequência de uma cirurgia de hérnia inguinal realizada na infância.

A azoospermia é um diagnóstico que pode gerar diversas dúvidas ao paciente, entretanto, com o direcionamento correto é possível obter um tratamento eficiente e de qualidade. Caso queira esclarecer mais informações sobre o assunto, entre em contato e agende uma consulta conosco.