Fale conosco pelo WhatsApp

Andropausa: O que é e como lidar?

Andrologista conversa com paciente sobre a andropausa
Por:

A Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino (DAEM) ou Hipogonadismo Masculino Tardio é popularmente chamados de andropausa. O termo é uma analogia à menopausa, mas é incorreto, pois o homem não cessa sua produção de testosterona ao envelhecer e o problema não acontece com todos os homens — diferente do que ocorre com as mulheres ao fim do seu ciclo reprodutivo, onde há interrupção total e abrupta na produção de certos hormônios.

A andropausa é caracterizada por um conjunto de sinais e sintomas decorrentes da diminuição da concentração de testosterona no homem. A queda na produção desse hormônio diminui, em média, 12% a cada década de vida. Entretanto, segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), apenas cerca de 20% dos homens após os 40 anos terão queda do andrógeno.

Qual a causa da andropausa?

A deficiência da testosterona pode ser ocasionada por diversos fatores:

  • Alterações no eixo hipotálamo-hipófise-testículo;
  • Alterações nos testículos;
  • Alterações na hipófise ou hipotálamo.

Quais os sintomas da andropausa?

Geralmente, os sintomas relacionados ao déficit hormonal podem ser facilmente confundidos com características próprias e inevitáveis do envelhecimento masculino ou então com outras doenças, dificultando o estabelecimento dos aspectos clínicos relevantes da andropausa.

Entretanto, os sintomas mais comuns relacionados a esta alteração são:

  • Diminuição da libido e do desejo sexual;
  • Disfunção erétil, há dificuldade em manter/ter uma ereção peniana;
  • Desânimo;
  • Irritabilidade;
  • Dificuldade de concentração;
  • Perda de memória;
  • Declínio do sono;
  • Aumento da gordura visceral;
  • Perda de massa muscular;
  • Perda de massa óssea (osteoporose);
  • Diminuição dos pelos (como barba e cabelo);

Essas manifestações não precisam estar todas presentes ao mesmo tempo para caracterizar a síndrome, e as manifestações têm importância clínica variada. É importante saber que esse processo tem início lento e progressivo, diferentemente da menopausa, que é repentina.

Diagnóstico

O diagnóstico da andropausa deve ser sempre clínico e laboratorial. Para realizar o diagnóstico, o homem deve apresentar os sintomas citados e possuir baixa dosagem sérica de testosterona.

Recomenda-se a dosagem de testosterona total e, se estiver baixa, deve-se repetir o exame juntamente com a dosagem da Testosterona Livre Calculada, LH e prolactina.

Existe tratamento para andropausa?

É fundamental que o médico andrologista faça a distinção entre situações sintomáticas que requerem tratamento e o achado incidental de queda fisiológica da testosterona em um homem assintomático, que não requer tratamento.

Caso o paciente seja diagnosticado, não há necessidade de grandes preocupações. O tratamento é totalmente seguro, e rapidamente o homem poderá recuperar a sua qualidade de vida.

Existem tratamentos baseados em reposição hormonal para se restabelecer os níveis de testosterona, sem prejudicar a função testicular. O tratamento inovador e praticado pelo Dr. Jorge Hallak é a reposição do hormônio hCG.

O tratamento deve ser realizado apenas com acompanhamento médico. Se feito de maneira inadequada, pode causar a infertilidade ou então aumentar a quantidade de glóbulos vermelhos, ocasionando elevando o risco de trombose e doenças cardiovasculares.

Prevenção

Não há como evitar o processo natural de envelhecimento do organismo e, portanto, todos os homens estão suscetíveis à andropausa. No entanto, a manutenção de hábitos saudáveis contribui para prevenção de doenças relacionadas a diminuição dos níveis de testosterona: manter uma alimentação saudável e praticar regularmente exercícios físicos.

Outra maneira de realizar a prevenção é corrigindo outras comorbidades, como: diabetes, hipertensão, obesidade, sedentarismo, tabagismo, álcool em excesso e dislipidemias, entre outros.

Consultas rotineiras com um médico urologista e/ou andrologista são necessárias para evitar doenças que possam acometer o homem, não apenas a Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino, mas qualquer outra enfermidade específica do organismo masculino.

Caso apresente os sintomas de andropausa, visite um profissional da saúde do homem para que seja realizado o diagnóstico com precisão e o mais rápido possível.

Fontes:

Sociedade Brasileira de Urologia (SBU);

Clínica de Andrologia Dr. Jorge Hallak;

Pfizer.