Fale conosco pelo WhatsApp

Disfunção Erétil em Jovens

Homem olha para suas partes íntimas depois de ser afetado pela disfunção erétil em jovens
Por:

Apesar de ser mais comum em homens na fase adulta, a disfunção erétil em jovens é um problema cada vez mais recorrente. De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), a estimativa é que a impotência sexual atinja 100 milhões de homens de todas as idades ao redor do mundo.

Caracterizada pela incapacidade de obter e manter uma ereção, a disfunção erétil em jovens possui tratamento, sendo que o prognóstico é consideravelmente maior quando o problema é diagnosticado precocemente. Portanto, é fundamental que o jovem procure um urologista de confiança para saber qual é a melhor abordagem terapêutica em seu caso.

Quais são as causas da disfunção erétil em jovens?

A principal causa da disfunção erétil em jovens é a chamada “ansiedade de performance”. A insegurança durante a relação sexual pode afetar o homem em qualquer faixa etária, no entanto, os jovens são especialmente acometidos pela ansiedade — principalmente quando se trata da primeira experiência sexual.

A ereção é resultado de uma série de fatores que vão além do estímulo sexual. Hormônios, neurônios, vasos sanguíneos e o tecido erétil do pênis agem em conjunto para que a ereção aconteça. Por isso, quando o jovem está com receio de falhar ou de não satisfazer o(a) parceiro(a), ele pode vivenciar a disfunção erétil.

Além disso, se o jovem tiver alguma comorbidade, as chances de ter impotência sexual são maiores. Dentre as causas que podem desencadear a disfunção erétil em jovens figuram:

  • Distúrbios circulatórios: para que a ereção aconteça é necessário que a circulação sanguínea no pênis ocorra sem interrupções. Quando o jovem possui alguma condição que afeta o fluxo sanguíneo — como é o caso do tabagismo e do diabetes, por exemplo —, ele pode ter dificuldades para ter e manter uma ereção;
  • Desequilíbrios hormonais: os hormônios fazem parte da cadeia de reações que resultam em uma ereção. Por isso, qualquer condição que provoca um desequilíbrio hormonal pode levar à impotência sexual. São exemplos o hipotireoidismo, o hipertireoidismo (ambos atingem a glândula tireoide), hiperprolactinemia (que acomete a glândula hipófise) e alterações nos hormônios sexuais (hipogonadismo);
  • Doenças neurológicas: os jovens que foram diagnosticados com esclerose múltipla possuem mais chances de ter disfunção sexual. Segundo a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), até 20% dos casos de impotência sexual estão ligados a doenças neurológicas;
  • Consumo de drogas: geralmente, é durante a juventude que as pessoas começam a consumir drogas — como metanfetaminas, maconha ou cocaína — e bebidas alcoólicas com o objetivo de se divertir. Contudo, o uso de drogas pode gerar a disfunção erétil em jovens; 
  • Distúrbios psicológicos: segundo uma pesquisa realizada pela University College London, 11% dos jovens entre 12 e 16 anos têm chances de desenvolver depressão. Essa doença psicológica pode diminuir a libido do paciente, contribuindo para a impotência sexual em jovens. Além disso, o uso de medicamentos para depressão também pode desencadear a disfunção erétil;
  • Alterações na anatomia peniana: quando o paciente tem problemas estruturais no pênis, sejam eles congênitos ou adquiridos, a saúde sexual pode ser comprometida.

Quando procurar um urologista para tratar a impotência sexual em jovens?

O especialista em urologia deve ser procurado assim que o jovem vivenciar a disfunção erétil 4 vezes. Quando isso acontece trata-se de uma disfunção erétil psicogênica, condição que deve ser tratada de dentro para fora, cuidando da alimentação, do estilo de vida e principalmente do lado psicológico.

O ideal é que o homem comece a se consultar com um urologista a partir dos 13 anos. Assim, é possível identificar algumas das causas que podem levar à disfunção erétil em jovens com antecedência. Caso queira obter mais informações sobre a impotência sexual em jovens, entre em contato e agende uma consulta com o Dr. Jorge Hallak.

Fontes:

Clínica de Urologia, Andrologia e Reprodução Humana Dr. Jorge Hallak;

Sociedade Brasileira de Urologia (SBU);

Associação Brasileira de Esclerose Múltipla (ABEM).