Fale conosco pelo WhatsApp

Tratamentos Disfunção Erétil

Homem olha para suas partes íntimas depois de ter sido afetado pela disfunção erétil
Por:

Segundo a Urology Care Foudantion (UCF), 1 em cada 2 homens acima dos 50 anos têm algum grau de disfunção erétil. Por conta do impacto psicológico da condição, a maioria dos pacientes procuram mais detalhes sobre os tratamentos para disfunção erétil tão logo recebem o diagnóstico.

Antes de explorar os tratamentos para disfunção erétil disponíveis atualmente, é importante esclarecer quais são os principais fatores que podem desencadear a condição. Isso porque a metodologia terapêutica abordada pelo urologista/andrologista será baseada nas causas da disfunção.

A disfunção erétil é caracterizada pela incapacidade de o indivíduo ter ou manter uma ereção peniana. As causas podem ser variadas, mas, no geral, as principais são:

  • Diabetes;
  • Hipertensão arterial sistêmica;
  • Doenças neurológicas;
  • Alterações metabólicas;
  • Alterações anatômicas penianas;
  • Problemas na circulação sanguínea;
  • Fatores psicológicos (ansiedade, depressão e estresse);
  • Efeito colateral de medicamentos (antipsicóticos, anti-hipertensivos, entre outros);
  • Desequilíbrios hormonais, principalmente quando afeta a produção de testosterona.

Quais são os tratamentos para disfunção erétil?

Os tratamentos para disfunção erétil podem ser divididos da seguinte maneira:

Tratamento com mudança de hábitos e estilo de vida

Aqui, o objetivo é tratar a saúde do paciente para que ele recupere a ereção de maneira natural. São investigados os hábitos de vida e realizados exames para avaliar os níveis hormonais.

Esta é a melhor abordagem para os casos de disfunção erétil por atuar diretamente na causa que desencadeou a condição. Além disso, ao fazer mudanças nas atividades cotidianas e na alimentação o paciente tem menos chances de desenvolver a disfunção sexual novamente.

Tratamento psicológico

Nesta abordagem, é possível seguir uma metodologia não farmacológica e farmacológica. A via não farmacológica é concentrada no aconselhamento com um psicólogo ou psiquiatra.

O tratamento não farmacológico é indicado para os pacientes cuja causa da impotência sexual esteja vinculada a fatores psicológicos, como é o caso dos indivíduos com o “temor de performance”. Esta abordagem tem por objetivo diminuir a ansiedade do homem durante a relação sexual e tem duração variada, podendo girar em torno de 2 a 6 meses dependendo de como cada paciente responderá ao tratamento.

A via farmacológica, como o próprio nome sugere, utiliza medicamentos para estimular a ereção peniana, facilitando a circulação sanguínea na região. Os remédios podem ser administrados por via oral ou por injeção direta no pênis.

De acordo com a Urology Care Foundation (UCF), 7 em cada 10 homens apresentam ereções melhores com os medicamentos. É importante que o paciente siga à risca a indicação do urologista/andrologista quanto à frequência do uso do remédio.

Tratamento cirúrgico

Esta abordagem é escolhida somente em último caso, ou seja, quando as demais alternativas terapêuticas não apresentam o resultado esperado. Os tratamentos da disfunção erétil realizados por via cirúrgica visam implantar uma prótese peniana para proporcionar uma rigidez melhor ao pênis.

O médico urologista/andrologista pode optar por três tipos de próteses penianas: as articuláveis, maleáveis (semirrígidas) e as infláveis. A indicação deste tratamento dependerá do quadro clínico do paciente.

Tratamentos para impotência sexual: quando procurar um especialista?

Muitos pacientes têm dificuldade em reconhecer a existência da disfunção erétil, postergando a busca por um acompanhamento especializado. No entanto, essa atitude pode agravar o quadro e tornar o tratamento mais complexo.

Por isso, o ideal é que o indivíduo recorra a um dos tratamentos para impotência sexual quando notar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Ejaculação precoce;
  • Problemas no orgasmo ou na ejaculação;
  • Ereção sem a rigidez peniana necessária;
  • Dificuldade para ter ou manter o pênis ereto.

Paralelamente aos tratamentos para disfunção erétil, o paciente pode adotar algumas medidas que auxiliam na melhora não somente do quadro como, também, da saúde geral. Fazer exercícios físicos e manter uma alimentação saudável são dois hábitos que, quando implementados, favorecem positivamente a saúde do homem. Caso queira saber mais sobre os tratamentos para impotência sexual, entre em contato e agende uma consulta.

Fontes:

Clínica de Urologia, Andrologia e Reprodução Humana do Dr. Jorge Hallak;

Urology Care Foundation (UCF), fundação oficial da American Urological Association.