Fale conosco pelo WhatsApp

Reprodução humana

Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que 15% da população mundial possui problemas para engravidar naturalmente, porcentagem que corresponde a aproximadamente 80 milhões de pessoas. A infertilidade conjugal caracteriza-se pela ausência de gestação após 12 meses de relações sexuais sem uso de métodos contraceptivos, e suas causas podem estar atreladas a fatores de infertilidade femininos e/ou masculinos. É comum que casais recorram à reprodução humana como forma de correção da infertilidade.

Entretanto, o correto é que esse casal identifique e trate as causas da infertilidade e procure pela reprodução humana apenas quando se esgotam todas as chances de concepção de forma natural. No caso da infertilidade masculina, a andrologia é capaz de identificar as causas e propor tratamento de restauro dela.

Quando procurar um andrologista especialista em reprodução humana?

Após o período de um ano tentando engravidar, o casal deve procurar auxílio de um especialista em reprodução humana, responsável por conduzir uma investigação minuciosa para determinar os aspectos que estão prejudicando a fertilidade. Esta avaliação deve envolver, além de um médico ginecologista, um médico andrologista — que cuida especificamente da saúde do homem —, de modo que seja possível fazer um levantamento completo dos problemas femininos e masculinos.

Segundo o artigo “A unique view on male infertility around the globe”, a infertilidade afeta cerca de 15% dos casais em todo o mundo, totalizando 48,5 milhões. Considera-se que os homens são os únicos responsáveis por 20 a 30% dos casos de infertilidade e contribuem para 50% dos casos em geral.

Desta forma, entender que as causas masculinas têm tanto impacto na fertilidade quanto as femininas. Sendo, assim nesta etapa de investigação, o andrologista especialista em reprodução humana realizará exames físicos e solicitará exames laboratoriais. São eles:

  • Avaliação do peso e altura;
  • Verificação da localização, volume e consistência dos testículos;
  • Análise da integridade dos epidídimos e vasos deferentes;
  • Identificação de possíveis infecções ou doenças como a varicocele;
  • Níveis hormonais;
  • Análises seminais.
The diagnosis of male infertility: an analysis of the evidence to support the development of global WHO guidance-challenges and future research opportunities.

Os resultados obtidos permitirão que o especialista aponte as melhores estratégias para o restabelecimento da fertilidade natural, sempre que isso for possível.

O protocolo médico adotado nos casos de infertilidade masculina dependerá da causa que desencadeou a condição. No geral, as condutas médicas adotadas são:

  • Reversão microcirúrgica de vasectomia;
  • Desobstrução de ductos ejaculatórios (em casos de azoospermias obstrutivas);
  • Tratamento medicamentoso com antibióticos durante 14 a 21 dias, em casos de infecção;
  • Tratamento com antioxidantes;
  • Tratamento especializado com hormônios;
  • Congelamento do sêmen pré-quimioterapia ou radioterapia, em pacientes com câncer;
  • Correção microcirúrgica da varicocele;
  • Mudança de hábitos e estilo de vida.

A Andrologia é uma subespecialidade da urologia que diagnostica e trata especificamente das condições relacionadas ao sistema reprodutivo do homem. O médico andrologista está apto a estudar o histórico clínico dos pacientes, bem como solicitar exames específicos para identificar as causas da infertilidade masculina e determinar os melhores métodos de contornar a situação.

Em 87% dos casos, é possível fazer um diagnóstico preciso — sendo que dois terços desses problemas podem ser resolvidos com métodos terapêuticos que devolvem a capacidade reprodutiva. No terço restante, um tratamento de reprodução humana assistida pode ser necessário.

Estudos apontam que as infecções são a segunda causa mais importante da infertilidade masculina, e muitas delas podem ser resolvidas de maneira simples, apenas com uso de antibióticos. O uso de remédios anti-inflamatórios e fármacos contra gastrite também pode comprometer a produção de espermatozoides e, consequentemente, a capacidade reprodutiva homem.

Por conta dessas possibilidades, é indicado que indivíduos do sexo masculino sejam acompanhados por um andrologista desde a puberdade — assim como as mulheres se consultam regularmente com um ginecologista. Este é um cuidado com a saúde que favorece a preservação da fertilidade e a saúde geral do homem em todas as etapas de sua vida.

Pacientes que foram diagnosticados com câncer e que serão submetidos a tratamento com quimioterapia e radioterapia devem optar pela criopreservação. A indicação ocorre também a homens que farão terapia imunossupressora, sendo a forma mais eficaz de preservar a fertilidade optar pelo congelamento do sêmen antes de dar início ao qualquer um dos protocolos mencionados.

A investigação da infertilidade masculina, em geral, é bastante objetiva e se concentra nas principais causas que geralmente levam à infertilidade conjugal. É importante, porém, que a análise seja feita sempre com foco no homem e na mulher — e não apenas em uma das partes.

No caso dos homens que estão com dificuldade para engravidar suas parceiras, os principais exames realizados são: o espermograma que contempla exames de função espermática (já mencionados acima), além de exames hormonais para os homens e ultrassom, por exemplo.

No caso das mulheres é comumente avaliada a ovulação e realizado um estudo das tubas para verificar possíveis obstruções. Quando necessário, exames complementares e mais avançados podem ser solicitados para ambos.

Por isso, embora o casal certamente tenha o direito de buscar uma segunda opinião sempre que esta for sua vontade, essa é uma medida mais indicada para casos em que não foi possível apontar de maneira precisa a causa da infertilidade.

Evidências científicas apontam que a qualidade dos espermatozoides pode influenciar diretamente na ocorrência de abortos espontâneos. Um estudo publicado no jornal científico Clinical Chemistry em janeiro de 2019 e feito pela Imperial College London, universidade na Inglaterra, avaliou amostras de sêmen de 50 homens do Reino Unido, em que as respectivas parceiras haviam sofrido, pelo menos, 3 abortos espontâneos de repetição.

Na pesquisa, os espermatozoides dos indivíduos desse grupo apresentaram considerável quantidade de DNA fragmentado, especialmente em comparação com amostras de homens com parceiras que tiveram gestação normal. O DNA carrega o material genético e é fundamental que esteja íntegro durante o processo de fertilização para que forme um embrião geneticamente normal.

Esses resultados evidenciam ainda mais a importância de sempre manter a saúde em dia e devidamente acompanhada por um andrologista, médico esse que dedica seus estudos a saúde do homem. Essa especialidade médica é capaz de restaurar a fertilidade masculina, da forma mais natural o possível.

A função da andrologia é justamente minimizar o uso de técnicas de reprodução humana, sempre optando pelo restauro da fertilidade de forma natural, assim como a saúde deste homem.