Fale conosco pelo WhatsApp

Urologia

A urologia é uma especialidade da medicina responsável pelo estudo dos órgãos e estruturas que compõem o trato urinário de homens e mulheres, além de cuidar do sistema reprodutor masculino. A área também se dedica ao desenvolvimento e execução de procedimentos e técnicas que permitem o diagnóstico e tratamento de doenças que acometem esses dois sistemas.

O médico urologista, portanto, cuida de diversas enfermidades e alterações que afetam pessoas de ambos os sexos e de diferentes idades — seja acompanhando pacientes internados, realizando cirurgias específicas ou atendendo em consultório. No que diz respeito especificamente ao cuidado com a saúde do homem, a urologia tem um papel essencial na execução de exames preventivos para a detecção precoce de doenças.

A importância da urologia na saúde masculina

A crença popular de que o urologista é um profissional que cuida apenas da saúde masculina, embora equivocada, é justificada pelas características anatômicas dos órgãos masculinos: nos homens o sistema urinário está integrado com o sistema reprodutor. Por conta disso, a atuação da urologia também inclui o cuidado com os órgãos reprodutores masculinos.

Embora o médico urologista possa atuar em todos os segmentos que envolvem a área, existe uma subespecialidade da urologia que se dedica especificamente a cuidar do sistema reprodutor masculino: a andrologia. A andrologia trata da saúde do homem de forma interdisciplinar, da adolescência até a senescência. Veja mais sobre o médico andrologista.

Seja por conta de falta de informação ou preconceito, ainda são poucos os homens que se consultam regularmente com estes profissionais. De acordo com levantamento da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), pelo menos metade dos homens brasileiros nunca se consultaram com um urologista.

Cuidados e tratamentos propostos pela urologia

As Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) são doenças causadas por vírus, bactérias e outros microrganismos transmitidos por meio do contato sexual, sem uso de preservativo masculino ou feminino. Além de atuar diretamente no diagnóstico e tratamento das ISTs, o médico urologista orienta a respeito dos melhores métodos de se prevenir contra essas infecções e ter uma vida sexual saudável. Veja mais.

As infecções do trato urinário (ITUs) ocorrem quando há invasão de microrganismos em qualquer parte do sistema urinário — pode ser na uretra (uretrite), bexiga (cistite) ou rins (pielonefrite). Este é um problema que pode afetar tanto homens quanto mulheres, embora a estimativa seja de que as pessoas do sexo feminino sejam acometidas de 10 a 20 vezes mais do que as do sexo masculino.

As ITUs geralmente cursam com sintomas característicos que causam muito incômodo, entre eles:

  • Ardência ao urinar (disúria);
  • Urgência em urinar mesmo após ter esvaziado a bexiga;
  • Urina com sangue (hematúria);
  • Dor na região pélvica ou lombar;
  • Mal-estar geral;
  • Febre alta (quando evolui para pielonefrite).

Aos primeiros sinais desses sintomas, o paciente deve ir ao médico para receber o diagnóstico correto e iniciar o tratamento adequado, pois quando uma ITU não é tratada corretamente, pode evoluir para pielonefrite e comprometer seriamente o funcionamento dos rins.

A próstata é uma glândula responsável por fabricar o líquido prostático liberado no momento da ejaculação junto com o líquido seminal. Dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) apontam que mais de 68 mil novos casos de câncer de próstata são identificados por ano, afetando principalmente homens com mais de 50 anos de idade. Este número corresponde a um risco estimado de 66,1 ocorrências a cada 100 mil homens no Brasil.

O câncer de próstata pode ser precocemente diagnosticado por meio de exames de rotina, aumentando assim as chances de sucesso no tratamento. O principal método utilizado para investigar a presença da doença, é o famoso exame de toque retal, onde o médico avalia tamanho, forma e textura da próstata por meio da introdução de um dedo devidamente protegido e lubrificado no reto.

Embora simples, o exame de toque é muito temido pela maioria dos homens, e estima-se que menos de 50% deles o fizeram pelo menos uma vez na vida. Por consequência disso, a maioria dos cânceres de próstata são identificados já em fase avançada, reduzindo drasticamente as chances de cura e levando a doença a ocupar a segunda posição entre os tumores que mais causam a morte de pacientes do sexo masculino no Brasil.

Junto ao exame de toque, a dosagem do nível de PSA (antígeno prostático específico) no sangue também pode auxiliar no rastreio do câncer de próstata. A próstata produz essa proteína normalmente, porém, quando está com alguma disfunção, aumenta sua produção. Mas lembre-se, somente o PSA não é suficiente para diagnóstico de câncer, o exame de toque retal deve ser realizado em conjunto.

Popularmente conhecidos como pedras nos rins, os cálculos renais se caracterizam pela presença de formações endurecidas nos rins ou nas vias urinárias. Essas formações endurecidas são resultado do acúmulo de pequenos cristais de sais. A presença de pedras em alguma parte do trato urinário pode provocar dores intensas que começam nas costas e irradiam para o abdômen e podem também culminar com fortes enjoos.

O tratamento pode ser medicamentoso, a fim de dilatar as vias urinárias para que a pedra seja expelida ou cirúrgico. Qualquer que seja o tratamento, o médico responsável é sempre o urologista.

O termo disfunção miccional diz respeito a problemas que afetam o funcionamento da bexiga urinária, tais como dificuldades no seu armazenamento ou esvaziamento. A incontinência urinária é um dos principais exemplos de disfunção miccional, e as causas do problema precisam ser investigadas para minimizar os impactos negativos à qualidade de vida do paciente.

De acordo com levantamento da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), uma em cada 25 pessoas pode sofrer de disfunções miccionais ao longo da vida. Entre as mulheres, 40% delas podem começar a perder urina de maneira involuntária após a menopausa, enquanto 8% dos homens que precisaram remover a próstata também podem apresentar a alteração.

Todos os tipos de disfunções e problemas no pênis também podem ser acompanhados e tratados pelo especialista em urologia. Os mais frequentes são:

  • Ejaculação precoce;
  • Impotência sexual;
  • Fimose;
  • Curvatura peniana.

Quando é indicado procurar um urologista?

É recomendado que os homens iniciem o acompanhamento com o urologista a partir dos 13 anos. Desse modo, o especialista consegue acompanhar o desenvolvimento dos órgãos genitais, bem como orientar o adolescente sobre prevenção de ISTs. Na fase adulta, o homem deve continuar o acompanhamento para que o médico continue cuidado de sua saúde sexual e reprodutiva, a fim de tratar possíveis problemas que possam interferir na fertilidade ou vida sexual. O ideal é que as visitas de check-up sejam anuais.

As consultas são bastante simples, e podem incluir a solicitação de exames de sangue, de imagem e exames que avaliam a qualidade do sêmen. O intuito é sempre prevenir problemas de saúde e garantir o bem-estar dos pacientes ao longo de sua vida.

Para entender melhor a importância da urologia e suas formas de atuação, agende uma consulta com um especialista.